Uncategorized

Avaliação do análogo sintético do odor materno (Adaptil™) no ambiente para cães recém-adotados.

Adaptil-01

Taylor K, Mills D S / Applied Animal Behaviour Science, 2007; 105, 358-368

Um estudo duplo-cego foi realizado para avaliar o efeito do análogo sintético do odor materno (Adaptil™) x Efeito Placebo no ambiente para cães recém-adotados. Esse estudo foi realizado com 60 cães de diferentes raças, ambos os sexos com idades variando de 6 a 10 semanas. Alguns dias antes do cão chegar na nova residência, os tutores foram instruídos a plugar o difusor no local que cão ficaria. Um grupo recebeu o difusor com o análogo sintético do odor materno (Adaptil), e o outro grupo recebeu um difusor com placebo. Os cães foram monitorados durante oito semanas após a chegada no novo ambiente. Os tutores ficaram responsáveis por realizar anotações referentes às mudanças comportamentais desses cães durante todo período.

Todas as informações referentes ao sexo, raça, manejo, experiência dos tutores e mudanças comportamentais dos cães foram anotadas e analisadas pelo modelo linear generalizado (MGL) para avaliar comparativamente Adaptil™ x Efeito Placebo.

 

Resultados

Mais de 70% dos cães que dormiram sozinhos apresentaram alguma mudança comportamental na primeira noite (choro noturno). Cães do grupo com o difusor placebo, tiveram alguma alteração por uma média de 9 noites, enquanto que cães do o grupo com o difusor de Adaptil tiveram apenas alteração comportamental durante as 3 primeiras noites de adaptação.

 

Conclusão

Adaptil™ no ambiente auxilia na adaptação dos filhotes recém-adotados no novo lar, proporcionando a sensação de bem-estar e conforto. Ajuda a reduzir as alterações comportamentais durante a adaptação dos cães.

Uncategorized

O que é Leishmaniose Visceral Canina?

 

leishmaniose-canina

Imagem: Todos os direitos da WSPA

Leishmaniose Visceral, popularmente conhecida como Calazar, é uma doença causada por protozoário do gênero Leishmania, sendo transmitida pela picada do inseto, o flebótomo, também conhecido como mosquito-palha.

Os cães e os animais silvestres são os principais reservatórios da doença, porém a Leishmaniose afeta também seres humanos, sendo, portanto, uma zoonose.

Os sinais clínicos e alterações patológicas nos cães podem ser diversos. A maioria
apresenta sinais inespecíficos como febre, perda de peso, apatia e anorexia.
Anemia, lesões na pele, linfoadenomegalia e onicogrifose são outras alterações
comuns. O diagnóstico da doença pode ser realizado por testes sorológicos, PCR e
citologia de linfonodos ou medula óssea.

Por ser uma doença sistêmica, o diagnóstico geralmente é mais difícil, em especial pela semelhança que ela apresenta com outras doenças como seborréia, piodermatites, dermatofitoses, escabioses, atopia, enfermidades autoimunes (Lupus/Pênfigo), neoplasias, hepatozoonoses, erliquiose, tuberculose e doença de Lyme.

Como medidas preventivas, é comercializado a vacina contra a leishmaniose. Os veterinários são orientados quanto a uso do produto que requer exame prévio para saber se o cão já está infectado. Se estiver, a vacina não terá valor, pois é preventiva, ela não irá curar o cão. Produtos repelentes que afastam os mosquitos e, portanto, impedem que o cachorro seja picado, também são eficazes para o controle da leishmaniose.

 

fonte: http://www.portaldodog.com.br

http://www.wspa.com.br

 

 

 

 

 

 

Uncategorized

Trovoadas ou Fogos de Artifício

28 CÃES X FOGOS-01

Você sabia que até 50% dos cães podem ser afetados por medo de barulhos?

Trovões ou fogos de artifício são os ruídos que mais despertam uma resposta de medo, porém outros ruídos que não estejam incorporados na rotina do seu cão também podem despertar o medo.  Para compreendermos melhor essa fobia, é notório sabermos que a audição canina é pelo menos 4x mais potente que a dos humanos, logo, fica mais fácil compreendermos a relação de medo com os fogos de artifício.

A audição canina é sensível a alguns barulhos não convencionais, podendo apresentar alguns sinais característicos de fobia em casos de trovões, fogos de artifício ou outros ruídos, como, tremores, procurar companhia dos donos, latir excessivamente, se encolher e se esconder atrás/embaixo de mobiliário, tentar escapar, defecar e/ou urinar fora do local correto, inquieto e/ou ofegante, se recusar a comer.

Além de arrumar um local de refúgio onde o seu cão possa se sentir seguro, Adaptil no ambiente pode auxiliar transmitindo a sensação de conforto e bem-estar. Comece a utilizar o difusor alguns dias antes dos fogos de artifício, ou deixe permanentemente ligado durante a época de tempestades/festas.

Datas comemorativas devem ser algo prazeroso para você e seu cão. ADAPTIL™ é um análogo sintético do odor materno que ajuda os cães a se sentirem seguros e protegidos no ambiente em situações adversas como: ficar sozinho em casa, chegada de novos membros na família, transporte, ambientes desconhecidos e outras situações que podem causar desconforto para o animal, como tempestades, ruídos altos (fogos de artifícios, festas, eventos).

ADAPTIL é uma réplica sintética do odor materno canino e pode ser utilizado no ambiente por meio do Difusor ou do Spray. Esse odor é espécie-específico, ou seja, somente os cães conseguem detectar no ambiente, não sedativo e sem efeito em pessoas ou outros animais (que não sejam cães) na casa.

Uncategorized

Micose em Gatos

21-MICOSE-01

Gatos também podem desenvolver micose, infecção de pele causada por fungos que se reproduzem rapidamente quando encontram ambientes propícios, como calor, umidade e baixa de imunidade. Transmitida entre animais ou do ambiente para o animal, a doença também pode passar do pet para as pessoas quando estas se encontram com a imunidade baixa.

Se estiverem com a imunidade baixa, tutores podem desenvolver a mesma infecção que seus animais.

 

Os felinos podem desenvolver a infecção com três tipos de fungos. O Microsporum canis é transmitido de gato para gato ou de um cão para um gato. No caso do Microsporum gypseum, geralmente gatos infectam-se em solo contaminado. E, por último, na ocorrência de  Trichophyton mentagrophytes, que é a forma mais comum de micose em gatos, geralmente eles infectam-se no contato com roedores. A incidência de cada fungo varia ainda de acordo com a localização geográfica.

Entre os sinais que podem identificar o desenvolvimento da doença estão a alopecia circular com queda de pelo total e a presença de várias lesões pelo corpo. Para diagnóstico é feita uma inspeção das lesões e, estudando o fungo em exame laboratorial, é possível confirmar a doença de pele.

O tratamento tradicional é realizado com antifúngicos tanto orais quanto tópicos. Outro recurso eficiente é a terapêutica homeopática, que atua no sistema imunológico do animal fortalecendo-o e assim promovendo a cura de micoses, já que a maioria delas age de forma oportunista, se beneficiando da queda de imunidade do animal. Animais bem-nutridos, que vivem em condições ideais de higiene e que são felizes, normalmente apresentam excelente sistema imunológico e raramente são acometidos por essa doença. Deve-se também evitar o contato com animais doentes e ter atenção com relação aos cuidados de higiene como o banho, por exemplo.

 

Fonte: http://www.revistapulodogato.com.br/materias/ler-materia/117/micose-em-gatos

Uncategorized

Lambedura Excessiva

14 - Lambedura-01

Atualmente, observa-se cada vez com mais frequência a presença dos animais de companhia nos lares das famílias brasileiras – o Brasil ocupa a 2ª posição mundial dentre os países com maior população pet -, contudo, a rotina familiar, principalmente nas áreas urbanas, pode trazer dificuldades para a relação entre os tutores e seus animais de estimação. Cabe ressaltar que o Brasil é o 5ª país no mundo com a maior jornada de trabalho da população, ou seja, não acaba sobrando muito espaço ou tempo para os pets.

Dentre os vários problemas que a solidão, o tédio, a restrição à liberdade e a ansiedade por separação podem causar nos pets, vale ressaltar os mais comumente reportados pelos tutores como comportamentos inapropriados, tais como destruição de móveis, defecar/urinar em local inapropriado, aumento do nível de estresse e, por vezes, a lambedura excessiva de uma parte do corpo.

A etiologia da lambedura excessiva é multifatorial e bastante complexa. Uma das teorias para o surgimento da lambedura em excesso está relacionada com a rotina dos proprietários, que exige que os animais fiquem sozinhos por longos períodos, recebendo cada vez menos atenção.

A lambedura excessiva é uma forma de “alívio” para os pets, pois provoca a liberação de opióides endógenos, trazendo uma sensação de prazer, o que acaba resultando num ciclo vicioso. Esse comportamento pode resultar no desenvolvimento de uma área de alopecia (falta de pelo), que pode acabar por desenvolver infecções locais e evoluir para quadros mais graves, como lesões ulceradas e firmes de difícil cicatrização.

Lambedura

Baseado no histórico e na sintomatologia clínica acredita-se a que a lambedura decorrente do tédio seja um modelo de distúrbio obsessivo-compulsivo e encaixa-se dentro da classificação de dermatite por lambedura de caráter psicogênico.

Vale recordar que a lambedura é um sinal multifatorial de característica extremamente complexa na dermatologia de pequenos animais, com isso, ao observar esta sintomatologia recomenda-se sempre levar o animal ao médico veterinário.

Dentre as diversas e mais complexas etiologias que podem resultar na lambedura excessiva, como crescimento desordenado de bactérias ou leveduras, alergias a ectoparasitas e/ou alimentos, há outra etiologia da lambedura, conhecida como psicogênica, dentro da qual se observa a ocorrência de lambedura excessiva sem uma causa “aparente”, podendo ser desencadeada pela falta de atividade, falta de enriquecimento ambiental, solidão, restrição de liberdade, entre outros.

Algumas sugestões para minimizar essas situações desafiadoras consistem em melhora do manejo ambiental e comportamental por meio da realização de passeios com mais frequência, aumento do nível de interação social do seu animal (seja com humanos ou com outros animais), evitar o confinamento prolongado (jaulas pequenas, canis), e condicionar o animal para sua saída, estimulando-o a ocupar-se com outras atividades.

A correção desse distúrbio envolve diversos fatores, porém o ponto chave é por meio da correção do fator desencadeante. Nos casos em que a lambedura excessiva seja de caráter psicogênico comportamental, recomenda-se a consulta de veterinários especialistas em comportamento animal.

Uma importante ferramenta auxiliar para casos de animais com distúrbios comportamentais decorrentes de ansiedade de separação, falta de atividade e tédio, pode ser o uso ambiental do análogo sintético do odor materno (Adaptil™) visto que esse produto ajuda os cães a se sentirem seguros e protegidos no ambiente.

Adaptil é uma réplica sintética do odor materno canino e pode ser utilizado no ambiente por meio do Difusor ou Spray. Esse odor é espécie-específico, ou seja, somente os cães conseguem detectar no ambiente, não sedativo, não tem contraindicações se associado com qualquer medicamento e sem efeito em pessoas ou outros animais na casa.

Adaptil_Brasil_Montagem

 

Uncategorized

Vem aí o Parada PET / Campinas

Parada Pet

A Ceva participará do primeiro Parada Pet em Campinas no dia 25/06. É um evento realizado pela EPTV de Campinas e será um encontro de pets e seus donos. Contará com várias atividades e prestação de serviço. Será montado um ambiente recreativo com brincadeiras, apresentação de agility (corrida de obstáculos), desfile de premiação dos pets e exposições de fotos. O evento será das 08h00 às 17h00, no estacionamento do Galleria Shopping.

No dia do evento, a Ceva estará com um estande para divulgação da linha de produtos. 

​A 1º Parada Pet contará com o serviço de microchipagem, que consiste no registro de gatos e cachorros no sistema de cadastro da Prefeitura de Campinas. Nesse dia, dedicado aos pets, também haverá castração, vacinação (anti-rábica e V10), além de orientações de saúde, alimentação, medicação.

Feira de adoção 
Para quem deseja levar um “amiguinho pet” para casa, o Grupo de Apoio Voluntário aos Animais Abandonados (Gavaa) organizará uma feira de adoção no local.

Campanha
A 1ª Parada Pet contará também com uma campanha de arrecadação de rações para cães e gatos, que será revertida para a Associação Amigos dos Animais de Campinas.

Serviço
O Galleria Shopping está localizado na Rodovia Dom Pedro I, km 131,5, Jardim Nilópolis.

http://institucional.eptv.com.br/televisao/noticias/NOT,0,0,1252114,EPTV+realiza+a+primeira+edicao+da+Parada+PET.aspx

adesivo-vitrine

Uncategorized

Dermatite Alérgica

07 - DERMATITE ALERGICA-01

O prurido é uma das razões mais comuns pelos quais os proprietários levam os animais para o consultório veterinário. Sabe-se que o prurido é uma sintomatologia multifatorial de afecções dermatológicas subjacentes, com ou sem lesões primárias.

Atrelado ao aumento da proximidade entre os humanos e os animais observou-se um aumento na incidência das dermatopatias nos animais domésticos, principalmente de caráter alérgico.

Dentre os distúrbios dermatológicos, as dermatites alérgicas, piodermites, distúrbio seborreicos, dermatose imunomediada e dermatose de origem endócrina são algumas das afecções cutâneas mais relatadas pelas clínicas de pequenos animais.

As dermatites alérgicas são os quadros mais frequentes relacionados a prurido em cães, sendo a dermatite alérgica à picada de ectoparasitas (DAPE), a hipersensibilidade ou alergia alimentar (DAA) e dermatite atópica as mais importantes.

A dermatite atópica é definida como um distúrbio genético relacionado à resposta inflamatória exacerbada e tendência ao prurido, cujas características clínicas estão associadas com a resposta aos anticorpos da classe IgE, mais comumente dirigidos a alérgenos ambientais.

O diagnóstico diferencial entre as dermatites alérgicas pode levar mais de 2 meses, sendo considerado um diagnóstico complexo, como podemos observar no infográfico ao lado.

As dermatopatias ocorrem por defeitos na barreira cutânea, a qual está munida de diversos sensores térmicos e forma uma interface psicossensorial. Para a pele desempenhar todas as suas funções sua integridade precisa ser preservada.

Quando a barreira cutânea está danificada a pele fica mais sensível à penetração de alérgenos, com isso garantir a barreira cutânea saudável é essencial para reter a umidade, manter a microbiota normal, realizar a renovação celular adequada e evitar a penetração de alérgenos.  Comumente animais com quadros alérgicos apresentam prurido de leve a intenso, o qual serve como um sistema de alarme efetivo para reestruturação da barreira cutânea.

Ao observar qualquer sintomatologia dermatológica, recomenda-se levar o animal ao médico veterinário especialista para realização do diagnóstico e do plano terapêutico.